GOVERNO HABILITA CUSTEIO PARA AMBULÂNCIAS DO SAMU

O Ministério da Saúde confirmou na quinta-feira (15) a habilitação de dez ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Paraná, estabelecendo recursos financeiros federais para custeio de média e alta complexidade. A demanda, que já era antiga, foi atendida após uma nova solicitação do Governo do Estado.

A portaria nº 1.521 habilita seis Unidades de Suporte Básico (USB) e quatro Unidades de Suporte Avançado (USA) nos municípios de Bituruna, Cruz Machado, Fazenda Rio Grande, General Carneiro, Piraí do Sul, São Mateus do Sul, Telêmaco Borba e União da Vitória.

“A orientação do governador Ratinho Junior é de regionalização da saúde, e graças ao pedido constante do Governo do Estado ao Ministério da Saúde conseguimos habilitar essas dez ambulâncias para adicionar o recurso federal ao custeio deste atendimento que salva, diariamente, tantas vidas no Paraná”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Desde a criação do Samu pelo Ministério da Saúde, em 2002, ficou estabelecido que o custeio do atendimento é tripartite, o que inclui governo federal, governo estadual e município. As ambulâncias devem ser adquiridas e distribuídas pela União e a regulação do serviço é custeada pelas três esferas. No mês passado, o Paraná comprou e distribuiu cinco ambulâncias para ampliação do atendimento de urgência em Irati.

No início deste governo, em 2019, o Paraná tinha 60% de cobertura do Samu. Agora, o Estado está avançando e se aproximando da cobertura dos 399 municípios, restando apenas o atendimento completo na 5ª Regional de Saúde.

“Desde o começo temos buscado reforçar o atendimento de urgência e emergência e também ampliar o serviço para todos os municípios. Acreditamos que nos próximos meses já poderemos afirmar que o Paraná possui cobertura integral do Samu”, explicou Beto Preto. Segundo a Resolução nº 965/2017, o Estado auxilia no dobro do valor com as ambulâncias USA (Unidades de Suporte Avançado), chegando a R$ 72.331,50 mensais cada. Além disso, o Paraná vai arcar com os valores retroativos que não serão pagos pelo governo federal – R$ 867,9 mil para o Samu Campos Gerais, R$ 578 mil para Fazenda Rio Grande, R$ 506 mil para São Mateus do Sul e R$ 506 mil para União da Vitória.

“Fazia um ano que o governo federal não publicava nenhuma portaria, e nós vamos fazer o repasse retroativo para essas unidades, além do valor mensal que já é repassado pela secretaria”, disse Giovana Fratin, gerente de Atenção à Urgência da Sesa.

Gostou dessa matéria?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Share on whatsapp
Compartilhe no Whatsapp
Share on telegram
Compartilhe no Telegram

deixe um comentário

Fechar Menu