Síndrome Fúngica e Nutrição

Explicando: Todos nós temos bactérias e fungos no nosso intestino, bons e ruins. Porém, quando a qualidade desses microorganismos está desequilibrada, ou seja, há mais dos ruins (patogênicos) do que dos bons (probióticos) falamos que há uma disbiose.

Quando esse desequilíbrio acontece, desfavorece um aumento não só das bactérias, mas também dos fungos, e é aí que dizemos que há a síndrome fúngica.

A espécie patogênica de fungo mais conhecida é a Candida Albicans. Quando se fala em Candida, logo associamos com candidíase – sim, se você tem candidíase de repetição, você tem síndrome fúngica! – mas ela não causa somente essa, mas uma diversidade de doenças e sintomas. Isso acontece porque parte desses microorganismos ruins entra no nosso corpo pelo intestino e ativa diversos sistemas de defesa e processos inflamatórios.

Veja algumas doenças e sintomas relacionados à síndrome fúngica:

• Doenças autoimunes (tireoidite de hashimoto, psoríase, artrite reumatoide, lúpus, fibromialgia)

Enxaqueca;

Micoses;

Infecção urinária recorrente;

Queda de cabelo;

Cansaço crônico e constante;

Fome constante e exagerada por doce;

Bolinhas atrás do braço;

Corrimento vaginal;

Ansiedade e alterações de humor;

Língua esbranquiçada;

Hipoglicemia;

Distúrbios intestinais e intolerâncias/ alergias alimentares;

Deficiências nutricionais (má absorção).

Entender se há algum desequilíbrio ou problema, é o primeiro passo para a solução.

A boa notícia, é que a Síndrome Fúngica tem tratamento e os resultados de um bom acompanhamento nutricional são excelentes.

Gostou dessa matéria?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Share on whatsapp
Compartilhe no Whatsapp
Share on telegram
Compartilhe no Telegram

deixe um comentário

Fechar Menu